II Forum da GNRC
Genebra, Maio 17-19, 2004.

RELATÓRIO DO GRUPO LATINOAMERICANO E CARIBENHO (LAC)

O Segundo Forum da Rede Global de Religiões a favor das Crianças (GNRC) teve lugar na cidade de Genebra, durante os dias 17, 18 e 19 de Maio do 2004. O grupo latinoamericano e caribenho (LAC) contou com 43 participantes de 17 países da região, representando as religiões: cristã (católica, protestante e evangélica), baha'i e judia.

Participando pela região LAC estiveram presentes os membros dos Comitês eleitos em Buenos Aires, mais alguns representantes de relevantes organizações regionais e alguns convidados selecionados pela Fundação Arigatou. Pela primeira vez o grupo Latinoamericano contou com a presença de representantes de dois países do Caribe com idioma inglês.

As deliberações do Forum em geral – divididas em Assembléias e reuniões por grupos regionais - se centraram em:
1) Relatórios sobre avanços da GNRC/ nas diferentes regiões;
2) o estabelecimento do Conselho Inter religioso de Educação Ética para Crianças;
3) Planejamento de futuras ações, enfatizando a Educação Ética.

A pedido do Secretariado Geral da GNRC se privilegiou este último ponto nas deliberações por regiões e no relatório ante a última assembléia geral do Forum. Os planos por sub-regiões da LAC, apresentados na Assembléia, por suas respectivas coordenadoras se transcrevem neste relatório.

Relatórios sobre avanços da GNRC na região LAC

Na primeira reunião Latinoamericana em Buenos Aires (Dezembro 2002), se estabeleceram 3 sub-regiões: Centro América, Andina e Cone Sul e se nomearam 3 Comitês com um representante por cada região (Comitês sobre Educação, Educação Ética e Coordenação)

Avaliando o seguimento e desenvolvimento da Rede a partir de Buenos Aires, decidiu-se continuar uma divisão de trabalho por sub-regiões. Debateu-se sobre reorganizar as sub-regiões com uma possível divisão com o Caribe e Brasil como sub-regiões independentes. Decidiu-se manter Brasil dentro do Cone Sul e criar uma nova sub-região para o Caribe Inglês e Espanhol.

Estabelecimento do Conselho Inter-religioso de Educação Ética para as Crianças

O Estabelecimento do Conselho Inter religioso de Educação Ética para as Crianças foi proposto pelo Reverendo Keishi Miyamoto, Presidente da GNRC, em sua intervenção na Assembléia Geral das Nações Unidas em sua Sessão Extraordinária a favor da Infância, em Maio do 2002.

Durante as preparações ao II Forum da GNRC, foram feitas consultas sobre o estabelecimento deste Conselho. Alguns membros na região Latinoamericana enviaram suas sugestões diretamente à Secretaria Geral. Durante o II Forum os membros da região presentes tiveram ocasião de trocar reflexões sobre o assunto, e que refletem as perspectivas sobre Educação Ética na região.

Observações e preocupações do grupo LAC na reunião em Genebra ao documento rascunho sobre o Conselho, podem resumir-se como segue:

- O conceito de paz não deve restringir-se a um conceito oposto à violência física; na realidade a violência física na maioria dos casos, é a expressão de violências subjacentes. A paz supõe igualdade, superação de todo tipo de discriminação, uma democracia participativa, um pleno exercício da cidadania, e a implementação de direitos sociais, políticos e econômicos, baseados nas necessidades básicas dos povos. As causas estruturais da pobreza são também matéria de educação ética.
- Coerente com o anterior, o conceito de shalom expressa melhor o conceito de paz como construção de sociedades justas, que desde o mundo religioso devemos tentar, uma paz que se baseia no bem-estar de todos.
- Na LAC o conceito de educação ética deve ser concretizado mas bem como educação para a paz e direitos humanos.
- A Educação Ética implica também a implementação de uma Educação para todos e uma educação de qualidade.
- A situação da menina e a discriminação particular de genero, devem ser objetos privilegiados dentro da Educação Ética.
- Os adultos também devem ser mencionados como sujeitos de Educação Ética e não só as crianças. As ações não-éticas vêm predominantemente desde o mundo adulto.

Expressaram-se preocupações também no sentido de que a agenda da GNRC sobre Educação Ética tinha sido pensada cima para baixo, em lugar da temática surgir das bases.
Na seqüência deste debate, o grupo revisitou os pontos da proposta sobre o Conselho de Educação Ética e o esquema programático, produto da reunião em Buenos Aires. Revisando os elementos condizentes, sobre os quais se podem pensar e elaborar planos de ação da GNRC na região, identificou-se:

- A promoção da educação ética na região desde a partir dos primeiros anos de vida, frente às tensões e violência que caracteriza a nosso tempo, promovendo uma cultura de paz, justiça social e solidariedade.
- A Convenção da ONU sobre os Direitos das Crianças como marco de nossos esforços e a educação ética como parte de sua implementação.
- A necessidade de promover e pressionar para que os governos incorporem em seus planos nacionais de educação, a educação ética.
- A obrigação de promover o protagonismo das crianças, e a estes como gestores de paz.
- A urgência de influir nos meios de comunicação como veículos para o desenvolvimento ético e espiritual das crianças, revertendo a tendência atual de fomentar a violência.
- A necessidade de desenvolver planos regionais e locais para promover a educação ética.

Como princípios, estratégias e elementos gerais na implementação da educação ética ou educação para a paz na LAC se reafirmaram os elementos anteriores com algumas matizes:

- Participação e protagonismo dos meninos, meninas e jovens como essencial às atividades da GNRC na região. Com relação a isto se convidou a tomar em consideração e como referência, o que as crianças expressaram na reunião de Buenos Aires.
– Influir, propor e pressionar por planos curriculares de educação ética nos planos nacionais de educação, mas também na educação não formal, especialmente religiosa.
– A importância de trabalhar em relação aos meios de comunicação e a violência que promovem.
– Realizar diagnósticos sobre violência.
– Trabalhar a partir de planos de ação por países, articulados com os planos sub-regionais.

Planejamento de futuras ações para LAC

Com os elementos anteriores se trabalhou em quatro grupos sub-regionais, cujos resultados foram apresentados pelas coordenações em Assembléia Geral, que aqui transcrevemos:

CARIBE

Eixo temático: Educação para a paz

Objetivo geral: Facilitar um espaço nas comunidades de maneira que as crianças possam desenvolver e compartilhar práticas éticas para uma nova cultura de paz.

Objetivos específicos:
1.Organizar grupos nacionais de adultos, crianças, e organizações interessadas numa proposta de trabalho de criança a criança pela paz
2.Usar materiais disponíveis para celebrar acampamentos comunitários para envolver no processo a outras crianças.
3.Capacitar aos facilitadores dos acampamentos comunitários.
4.Celebrar uma consulta subregional para envolver mais países no processo e estabelecer metas a longo prazo.

ANDINA

Eixo temático: Educação Ética e comunidade educativa

Objetivo geral: Incidir na formação de educadores com o objetivo de promover uma educação integral e uma educação ética.

Objetivos específicos:
1.Trabalhar por uma educação de qualidade.
2.Formular um plano de ação a nível subregional.
3.Priorizar áreas de deslocamento e migração.
4.Analisar os efeitos da migração na educação.
5.Criar uma base de dados na sub-região/ Andina.

CONE SUL

Eixo temático: Construir uma vida plena a partir da fé, em favor das crianças e adolescentes.

Objetivo geral: Articular e fortalecer ações inter religiosas que contribuam ao desenvolvimento integral de crianças e adolescentes.

Objetivos específicos:
1.Promover a educação e a formação integral as crianças e adolescentes vulneráveis em seus direitos.
Ações
1.1- Participar na formulação e seguimento dos Planos Nacionais sobre a Infância
1.2- Relevar, fortalecer e articular ações sócio-educativas na sub-região.

2. Intensificar o diálogo, a ação e a participação para superar a violência.
Ações
2.1 - Cursos de capacitação a nível formal e não formal para incorporar estas práticas na prática educativa.
2.2 - Registro e socialização dos materiais e recursos educativos sobre diálogo e colaboração inter religiosa.
2.3 - Encontros, seminários e ateliês para fortalecer o diálogo e a participação.

3.Fomentar a participação protagonista das crianças e adolescentes
Ações
3.1 - Fortalecer os movimentos existentes de crianças e adolescentes, favorecendo sua criação naqueles países em que não existem, e articular sub-regionalmente as experiências.

4. Manifestar –se publicamente a favor do pleno exercício dos direitos das crianças e adolescentes.
Ações
4.1Em cada atividade desenvolvida nos pontos anteriores se dará uma ampla difusão a três níveis: meios de comunicação, opinião pública e organismos governamentais

AMÉRICA CENTRAL

Eixo temático: Prevenção e superação da violência urbana.

Objetivo geral: Manter um diálogo inter religioso permanente sobre violência para entre crianças, adolescêntes e juventude na Centro América para que se gerem respostas em comum dentro de uma ética global.

Objetivos específicos:
1. Realizar duas reuniões para analisar a problemática da violência urbana de Honduras e Centro América.
2. Formular estratégias concretas a partir das igrejas e grupos religiosos.
3. Formular um plano de ação conjunto para responder à violência urbana, rural e inter fronteiriça entre crianças, adolescentes e juventude promovendo uma cultura de paz como uma ação específica da GNRC. (Estes três primeiros objetivos específicos se cumpriram em abril de 2004.)
4. Promover ações conjuntas e concretas para favorecer e melhorar a qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens.
5. Gerar e fortalecer espaços onde as crianças, adolescentes e jovens desenhem estratégias próprias para responder à violência como protagonistas e promotores de uma cultura de paz.
No momento de redigir este relatório, o grupo latinoamericano e caribenho foi impactado pela notícia de que ao menos 102 jovens morreram por causa de um incêndio no centro penal de San Pedro Sula, em Honduras, o qual albergava 2.200 pessoas, mais do dobro de sua capacidade. Vários sobreviventes asseguram que os encarregados da segurança do cárcere não permitiram aos jovens sair das celas para salvar suas vidas mesmo estando envolvidos em chamas. Os relatórios indicam que os falecidos em sua maioria, não tinham sido condenados por nenhum crime. As vítimas foram presas como conseqüência da nova lei "antimaras" (pechinchas ou ligas) estabelecida pelo Presidente Ricardo Maduro.

Este fato de violência se relaciona diretamente com o objetivo do projeto da GNRC/ em Centro América, que tenta prevenir e reverter na violência juvenil urbana, que se expressa através da proliferação de ligas (telefonemas "maras") nesta sub-região/. O grupo latinoamericano e caribenho solicita encarecidamente o apoio solidário deste II Forum da GNRC, aderindo-se mediante sua assinatura ao comunicado redigido por colegas de nossa Região.

Neste momento solicitamos a vocês um minuto de silêncio em memória das vidas destes jovens."

OUTROS:

Carta as crianças Iraquianas e suas famílias

Dentro do grupo Latinoamericano e Caribenho esteve muito presente a guerra contra o Iraque, como uma situação internacional que toca o tema violência e a violação aos direitos de todo um povo. Os participantes lembraram sobre a urgência de expressar-se sobre esta situação numa reunião com participantes de diversas regiões do mundo. Uma comissão foi nomeada para elaborar uma declaração a este respeito, em forma de carta as crianças do Iraque, que foi lida na última Assembléia Geral do Forum, transcrita a seguir:

Carta as crianças iraquianas e suas famílias

"Nós, abaixo-assinados, participantes do Segundo Fórum da Rede Global de Religiões para as Crianças, representantes da maioria das religiões do mundo, reunidos em Genebra, em 19 de maio de 2004, queremos dizer-lhes que sentimos uma profunda dor pelas mortes, as torturas e o sofrimento causado pelo Governo dos Estados Unidos e seus aliados na invasão a seu país.

Resulta-nos difícil traçar objetivos e ações em favor da paz sem antes nos manifestarmos sobre a situação que está violentando sua dignidade humana. Afirmamos que é uma vergonha para toda a humanidade a violação indiscriminada dos direitos de todo um povo.

Afirmamos que quem instrumentalizou esta ação militar não representa nenhuma verdade religiosa. Suas motivações profundas são contrárias à paz, ao respeito e à proteção da vida.

Seu deus não é nosso Deus. Eles adoram o poder, o dinheiro, a vitória.
Nós oramos ao Deus da verdade, da misericórdia e da justiça.

Desejamos que a dor e a desesperança não os façam acreditar que a violência é o caminho. Vocês não estão sozinhos. Nós oramos e lutamos para que voltem sua dignidade e seu sorriso."

(O Grupo Latinoamericano e Caribenho reunido no II Forum da GNRC/ Genebra, Maio 19 do 2004.

Estudo GNRC-UNICEF

Na última Assembléia Geral do Forum UNICEF e a GNRC assinaram um acordo para a implementação de um estudo sobre as perspectivas das religiões sobre as crianças.
A esse respeito o grupo LAC fez as seguintes observações, recolhidas diretamente a partir da representante de UNICEF em visita ao grupo: o estudo pode ser uma iniciativa importante, mas preocupações foram expressadas no sentido dos resultados práticos. Recomendou-se refletir seriamente – antes da implementação do Estudo- sobre os resultados práticos e sobre a metodologia de disseminação do, já que isto influenciará a maneira na qual se levará a diante o estudo.

Relatório apresentado por Mercedes Román, Coordenadora da GNRC/ para LAC


 
 
 
 
 

Visitantes

Temos 80 visitantes e Nenhum membro online