A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde divulgou terça-feira (08/12) o Protocolo de Vigilância e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika. O documento tem por objetivo subsidiar os profissionais de saúde e as áreas técnicas de vigilância em saúde com informações gerais, orientações específicas e diretrizes relacionadas às ações de vigilância da ocorrência de microcefalia em todo território nacional. São destaque no documento os seguintes aspectos:

1. Gestante com possível infecção pelo vírus zika durante a gestação.

2. Feto com alterações do SNC possivelmente relacionada a infecção pelo vírus Zika durante a gestação.

3. Aborto espontâneo decorrente de possível associação com infecção pelo vírus Zika, durante a gestação.

4. Natimorto decorrente de possível infecção pelo vírus Zika durante a gestação.

5. Recém-nascido vivo (RNV) com microcefalia possivelmente associada a infecção pelo vírus Zika, durante a gestação.

O protocolo emergencial de vigilância e resposta aos casos de microcefalia relacionados à infecção pelo Zika está pronto, preparado pela equipe do Ministério da Saúde. O objetivo do protocolo é passar informações, orientações técnicas e diretrizes aos profissionais de saúde e equipes de vigilância. O material foi elaborado a partir das discussões entre o Ministério da Saúde e especialistas de diversas áreas da medicina, epidemiologia, estatística, geografia, laboratório, além de representantes das Secretarias de Saúde de Estados e municípios afetados.

O protocolo contém orientações como a definição de casos suspeitos de microcefalia durante a gestação, caso suspeito durante o parto ou após o nascimento, critérios para exclusão de casos suspeitos, sistema de notificação e investigação laboratorial. Além disso, há orientações sobre como deve ser feita a investigação epidemiológica, dos casos suspeitos e sobre o monitoramento e análise dos dados. Por fim, o protocolo traz informações sobre o reforço do combate ao mosquito Aedes aegypti.

Plano nacional

O Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia foi lançado em 5 de dezembro. Trata-se de uma grande mobilização nacional envolvendo diferentes ministérios e órgãos do governo federal, em parceria com Estados e municípios, para conter novos casos de microcefalia relacionados ao vírus Zika. O Plano é resultado da criação do Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional (GEI-ESPII), que envolve 19 órgãos e entidades.

Com o crescente número de casos de microcefalia no País, o Ministério da Saúde declarou, no mês passado, Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional no País.

O plano é dividido em três eixos de ação: mobilização e combate ao mosquito; atendimento às pessoas; e desenvolvimento tecnológico, educação e pesquisa. Essas medidas emergenciais estão sendo colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde


 
 
 
 
 

Visitantes

Temos 194 visitantes e Nenhum membro online